Seu corte de cabelo definirá sua próxima compra?

Pesquisadores da Universidade da Califórnia estão desenvolvendo um algoritmo que permitirá identificar, em fotos, grupos culturais (ex: “hipsters”, “góticos” ou “punks”) como um atalho para vendas: se você tem um cabelo hipster, digamos, talvez uma camisa xadrez apareça com destaque na sua navegação de compra?

As “tribos urbanas” delimitadas, como as citadas acima, podem ser operacionalizadas como atalhos através de seus elementos visuais. No futuro, com o reconhecimento fácil e barato de cortes de cabelo e de objetos como pranchas de surfe ou bicicletas, por exemplo, lojas eletrônicas poderão apresentar os produtos de forma segmentada.

tribesExamples_0

O algoritmo ainda está muito longe de ser preciso: as taxas de acerto são relativamente pequenas, 48% de precisão. Afinal de contas, elementos visuais podem significar afiliação a determinados gostos, mas o mundo é cada vez mais eclético e livre culturalmente.

Apesar de algoritmos complexos e precisos para tais funções estarem ainda em fase de desenvolvimento, a utilização de recursos de análise de imagem é algo bastante comum no mundo da pesquisa de mercado. Perceber interesses das pessoas e suas relações com o modo de apresentação de si é algo buscado por pesquisadores de mercado, etnógrafos e sociólogos.

No monitoramento de mídias sociais algumas destas análises também podem ser realizadas. Atualmente mídias focadas na circulação de imagens como Instagram estão bastante populares e podem servir de fonte para compreensão de como o público geral e tribos urbanas relacionam-se com sua marca e produtos. Que tal você se fazer perguntas como as seguintes no seu monitoramento?

  • Quais os objetos que os frequentadores de meu bar incluem nas fotos?
  • Nas fotos em que meu produto está sendo marcado, quais os tipos de peças de vestuário estão no mesmo look dos consumidores?
  • É possível identificar tribos urbanas, culturais ou musicais entre os frequentadores do meu estabelecimento?
  • Os meus clientes estão “se vendo” nas imagens dos posts de minha fan page? Será possível pesquisar seus comportamentos e referências visuais para que eles se identifiquem com as pessoas que estão sendo apresentadas junto à minha marca?
  • As reclamações monitoradas sobre os frequentadores do meu shopping podem significar o embate de diferentes tribos urbanas?

Como estamos falando de pessoas, não são todos os tipos de análise que podem ser transformadas em ações diretas. Mas, com certeza, entender o comportamento de seus consumidores e público pode gerar insights sobre eles!

via The Conversation

Deixe uma resposta