3 Cuidados ao Generalizar Dados em Mídias Sociais

Os dados nas mídias sociais são excelentes para medir o pulso das marcas, segmentos, temas e debates na opinião pública online. Porém, para realizar análises precisar, é importante também entender as eventuais limitações dos dados sociais digitais. Em se tratando de generalização de dados, os três pontos abaixo merecem atenção:

1 – Demografia

Um primeiro cuidado é lembrar que os usuários nas mídias sociais possuem características demográficas, em média, diferente da população geral. Isto é resultado de diversos fatores, como expectativas sociais (alguns grupos são mais motivados a se expressar), econômicas (acesso a computadores e smartphones), tecnológicas (disponibilidade de acesso, por exemplo), educacionais (alfabetismo digital) e outras.

O gráfico abaixo é um exemplo, da Pew Research, que mostra como a população de diferentes mídias sociais é inclinada para algumas características nos EUA:

landscape-of-users

Como contornar esta limitação?
Realizar o monitoramento de mídias sociais focado nos usuários ajuda a compreender a amplitude dos dados, assim como ajustar para representar melhor o que está sendo pesquisado. Em ferramenta de monitoramento como o BrandCare, é importante usar as funcionalidades de CRM e categorização da audiência para medir também qual tipo de público está conversando com a marca.

 

2 – Tipos de Usuários

Uma segunda limitação é o fato de que existem diferentes tipos de usos das mídias sociais. Algumas pessoas se expressam mais, publicam mais com opiniões e conteúdos originais. Outras realizam curadoria, comentários e recomendações. Já outras preferem apenas consumir e ler conteúdo, sem se posicionar. O gráfico abaixo, proposto pela Forrester Research, sistematiza estes tipos de usos:

technographics ladder

Como contornar esta limitação? É importante lembrar que, a depender do segmento de sua empresa, apenas uma fatia do público estará mais propensa a se expressar espontaneamente. Então, na medida do possível, desenvolva conteúdo interacional, com chamadas para conversação, com call to action e temas que gerem engajamento.

 

3 – Temáticas Populares / Tabus

Outra limitação para generalizar os dados é que algumas temáticas são mais favorecidas pelas mídias sociais, de modo geral. Expressão pessoal, conteúdo relacionado indiretamente a status e alguns temas populares geram mais conversações do que temas com poucos ganchos sociais. Além disto, alguns temas tabus como sexo, higiene, violência e política podem ser evitados em alguns círculos.

Como contornar esta limitação? Em primeiro lugar, deve-se compreender que alguns segmentos são menos debatidos que outros. Dessa forma, realizar estudos longitudinais é especialmente importante, para gerar um volume mais relevante de conversas. Além disto, pode-se aproveitar os públicos online para gerar outros modos de coleta de dados como questionários anônimos.

Deixe uma resposta