Não deixe o Gráfico de Pizza ser o vilão de seus relatórios

Volta e meia algum texto diz, categoricamente: “não use jamais gráficos de pizza!”. Os gráficos de pizza, que também possuem nome delicioso em inglês (pie charts – gráficos de torta), são, porém, uma das modalidades mais intuitivas de apresentação de alguns tipos de informações.
Turkish Empire - william playfairComo nos conta o especialista Nathan Yau em seu livro Visualize This!, o primeiro gráfico de pizza foi publicado por WIlliam Playfair, que também inventou o gráfico de linha e o gráfico de barras em 1801. São mais de 200 anos de pizza! Na imagem ao lado podemos ver o gráfico, utilizado para mostrar a distribuição do Império Turco antes de 1789.

Nos gráficos de pizza o ponto é entender que servem para demonstrar partes de um todo. Por isto costuma ser utilizada especialmente quando se fala de porcentagens. Se a distribuição das fatias da pizza somarão 100%, a informação e as relações entre as partes ficam claras. No gráfico do Playfair, por exemplo, a área da pizza é dividida entre frações africanas e europeias do território, pois são

  • Gráficos de Pizza devem demonstrar relações entre o todo: desse modo, as fatias devem representar algo que possa ser convertido em porcentagens, somando um todo. Para conseguir isto, as categorias devem ser mutuamente exclusivas. Imagine, por exemplo, um questionário que faça a pergunta: “Marque quais marcas de shampoo você conhece”. Cada usuário poderá marcar uma ou mais, o que significa que as opções não são excludentes entre si. Porém, se a pergunta for “Qual sua marca preferida de shampoo”, o resultado poderia ser mais apropriadamente representado por gráfico de pizza.
    No contexto do monitoramento, é comum representar gráficos de Menções por Sentimento desta forma pois uma menção Negativa não pode ser Positiva ao mesmo tempo. No máximo pode ser Híbrida, por exemplo, opção que se tornou padrão nas ferramentas de monitoramento de mídias sociais. No exemplo abaixo, dois gráficos de Rosca, variante de Pizza, extraídos do BrandCare:

gráfico de rosca - brandcare

  • As fatias dos Gráficos de Pizza não devem somar mais de 100%. Esta recomendação pode ser deduzida a partir da recomendação anterior, mas nunca é demais frisar. Entender isto permite lembrar a anterior. Afinal de contas, se existe mais de 100% de um determinado valor, significa que as fatias (categorias) não são excludentes entre si, permitindo a sobreposição. Desse modo, outro tipo de visualização (como barras, gráfico de Venn ou mesmo uma tabela) podem ser mais úteis.
  • Sempre utilize Etiquetas (Labels) quando os valores não ficarem claros visualmente. Em alguns casos, o objetivo é apenas demonstrar a liderança de uma opção. Mas se tal liderança é composta de poucos pontos percentuais, será difícil para o leitor entender qual está na frente. No exemplo abaixo é difícil entender, sem o número exato, se as opções “Biscoito” ou “Bolacha” são iguais ou diferentes em tamanho:

Bolacha e Biscoito

  • Não Represente Muitas Categorias em um Único Gráfico de Pizza. Utilizar um único gráfico para representar dezenas de categorias pode trazer complicações na hora de visualizar as informações. Recomenda-se utilizar para alternativas com poucas fatias ou que permite agregar as menores em uma única fatia. Veja no exemplo abaixo como o gráfico da direita é quase incompreensível:

Gráfico de Pizza - muitas categorias

Na dúvida, priorize sempre a transmissão da informação desejada e a data-to-ink ratio, ou seja, a razão entre “tinta” e dados.  É um conceito criado por Edward Tufte que propõe que as visualizações devem ser pensadas de forma minimalista: mostrar dados claros e não-redundantes, apenas o essencial.

Deixe uma resposta