redes

Curso de Análise de Redes Sociais para Comunicação e Marketing

By | Social Media | No Comments

A Internucleos, instituição focada em pesquisa e inovação e consultoria, acaba de lançar o curso
Análise de Redes Sociais (SNA) para Comunicação e Marketing: Extraindo Valor a Partir de Dados, que acontecerá nos dias 4 e 5 de novembro, em São Paulo. Recomendamos o curso, que será realizado por Rodrigo Terra, professor formado em Comunicação pela FAAP, Pós-Graduado em empreendedorismo pelo IBMEC e em Administração pela FGV. Saiba mais:

“O curso SNA (Social Network Analysis) para Comunicação e Marketing da Internucleos visa oferecer um conhecimento estruturado que possibilita aos profissionais de comunicação e marketing (Publicitários, Jornalistas e RPs) operar um conjunto de ferramentas de análise de redes, como Gephi, Brandcare e Netvizz. Nossos estudos apontam que aprender a escolher qual ferramenta para cada finalidade faz toda a diferença no planejamento de comunicação.

Por meio da análise SNA, e suas ferramentas, de forma estruturada, é possível extrair dados relevantes sobre a circulação de mensagens, produzidas por marcas e consumidores em comunidades virtuais dessas plataformas. Além de compreender o processo de circulação, o aluno aprenderá também a identificar quem são os atores mais influentes que impulsionam a circulação dessas mensagens.”

internucleos - analise de redes sociais

 

Como foi o Social Analytics Summit?

By | Social Media | No Comments

Nos dias 07 e 08 de novembro aconteceu o Social Analytics Summit, principal evento brasileiro da área de social analytics, monitoramento, métricas e pesquisa digital do país. A Social Figures esteve presente no evento, realizando cobertura através do Twitter e representada através de um dos curadores do evento.

Para conferir o que aconteceu, recomendamos o post no blog Midializado, do Gabriel Ishida, e o post do blog Spot. E, para entender a conversação sobre o evento, trazemos aqui duas visualizações de rede.

Em dois dias de evento, foram publicados 937 tweets e 695 retweets com o nome e hashtag oficial do evento. Ao todo 179 perfis se engajaram com o evento, que teve cerca de 350 participantes.  Entre os palestrantes, @b3ablanco, @gabrielishida, @todearaujo, @maxstabile e @primarcenes receberam maior número de conexões (calculada a partir da métrica InDegree), entre comentários da platéia e conversação durante o evento.

Sem contar os perfis da organização, @thatymoura, @annasayu, @maripublicis, @anandaporto e @orlandocnas foram os mais conversacionais (calculados a partir da métrica out-degree). É curioso observar como, no caso de eventos, os clusters são poucos, devido a conversação relativamente densa entre todos que acompanham a hashtag. Cliquem abaixo para ver de forma interativa:

rede social analytics summit

No Instagram, o mapa da rede permite identificar temáticas associadas (como #socialmedia, #SEO, #aperfeiçocamento) e adjetivos de valor, como #mindblowing e #sensacional. Clique para conferir:

Social Analytics Summit - Instagram

Com exceção das hashtags do evento e perfis dos organizadores e curadores, a nuvem de palavras da conversação sobre o evento foi a seguinte:

wordcloud - social analytics summitOs tweets que receberam mais repercussão foram os seguintes:

Como analisar redes no Twitter com o BrandCare

By | BrandCare, Social Media | No Comments

Duas das novas funcionalidades da seção de Labs do BrandCare envolvem a visualização de redes. Além das redes de hashtags no Instagram, é possível gerar visualizações de redes a partir do monitoramento do Twitter, para analisar as conexões entre perfis, encontrar comunidades, influenciadores, medir o fluxo da informação, impacto de determinados assuntos etc.

Ao gerar uma rede no BrandCare, a primeira visualização será algo como a tela a seguir. É possível dar zoom e começar a analisar a rede.

Redes no Twitter

A primeira análise que pode ser feita é a dos clusters, ou comunidades, de perfis. Cada grupo de usuários mais conectados entre si é agrupado num cluster e colorido de acordo. Vejam, por exemplo, o cluster resultante da participação e cobertura da Social Figures em uma conferência:

redes no twitter - brandcare - cluster

A identificação de influenciadores também é facilitada pela visualização em rede. No exemplo abaixo, vejam como o perfil da @MarciaCeschini, uma das principais curadoras de conteúdo sobre mídias sociais do Brasil, gera um impacto relevante na rede selecionada:

redes no twitter - perfil influenciador 2 - brandcare

Em outros casos, a rede permite identificar o impacto de outras mídias sociais. A presença do perfil @SlideShare abaixo demonstra o compartilhamento de conteúdo da Social Figures daquela mídia social no Twitter:

redes no twitter - perfil influenciador - brandcare

É possível filtrar os nós por diversos tipos de métricas. Se recortarmos, por exemplo, por InDegree (a quantidade de conexões recebidas), é possível encontrar os perfis que mais movimentaram a rede:

redes no twitter - in-degree - brandcareO filtro também pode estar associado a itens como Tags, Grupos de Usuários e tipo de Interação (filtrando por Retweet ou Mention). No exemplo abaixo, as conexões estabelecidas em torno da tag “whitepaper” que, no caso, mede a circulação dos documentos que a Social Figures publica para o mercado:

redes no twitter - filtro por tag - brandcareQuer aproveitar tudo o quê as redes tem a oferecer? Faça um trial do BrandCare agora mesmo e gere redes como estas em poucos cliques.

Rede de Conversas em Eventos: Content Summit 2014

By | Redes Sociais, Social Media | No Comments

Neste 19 de julho aconteceu mais um importante evento de formação do mercado de mídias sociais: o Content Summit 2014. Organizado pela Media Education, faz parte de uma série de eventos que acontecem durante o ano, com temas bem definidos como conteúdo, planejamento, baixos orçamentos etc.

Estivemos presentes no evento e não poderíamos deixar de fazer um raio-x de como as pessoas conversaram nas mídias sociais. Apenas ontem foram mais de 1500 tweets enviados por mais de 300 pessoas – que estavam presencialmente ou não no evento. Nas mídias sociais, especialmente no Twitter, é possível ver as conversas como redes. Foi o que fizemos, monitorando as principais hashtags do evento com o BrandCare e visualizando os dados no Gephi. Abaixo segue a visualização de duas redes (recortada com os perfis mais conectados) com os nós dimensionados a partir das métricas de Grau de Saída e Grau de Entrada.

Na primeira rede podemos ver os nós (perfis Twitter) dimensionados de acordo com o Grau de Saída: ou seja, se o perfil publicou tweets mencionando e retuitando outros perfis. É possível observar um grande número de perfis muito engajados. Os 10 perfis mais engajados foram de : @tayxoca, @raasutecas, @tarushijio, @casperlibero, @mediaeducation_, @poperotico, @bigdigo, @dani_rodrigues, @vihfreitas e @mouracinara:

rede #contents 2014 - grau de saída

A visualização dos nós a partir da métrica Grau de Entrada (no caso, recebimento de conexões: menções e RTs) é bem diferente. A concentração das conexões em poucos nós é muito mais explícita. Entre os 10 perfis mais mencionados estão pessoas e organizações engajadas em tuitar sobre o evento e alguns palestrantes, que foram mencionados por conseguir engajar a platéia: @mediaeducation_, @tarushijio, @pedroporto, @thassius, @mouracinara, @lilianeferrari, @casperlibero, @apassarelli, @itau e @bigdigo.

rede #contents 2014 - grau de entrada

A análise estrutural de redes é uma metodologia que amplia muito os tipos de insights retirados de um monitoramento de mídias sociais. Para a área de eventos, por exemplo, é possível usar a análise de redes sociais para identificar os perfis que geram engajamento e movimentação nas conversas e tomar ações a partir daí, como um relacionamento 1-to-1, cortesias, convites para participação ou conteúdo etc. Também é possível (junto a análise de sentimentos e eventos), identificar quais palestras e eventos melhor performaram, a partir de métricas de redes como grau de entrada, densidade das conexões e número de nós conectados.

Acompanhe nossos canais para aprender mais sobre análise de redes! Assine o feed em http://feeds.feedburner.com/socialfigures

6 tipos de dinâmicas conversacionais no Twitter

By | Social Media | 4 Comments

O Pew Research Internet, reconhecido instituto de pesquisa sobre internet, acabou de lançar um relatório em parceria com a Social Media Research Foundation: Mapping Twitter Networks – from polarized crowds to community clusters[pdf]. Utilizando a ferramenta NodeXL, que aplicamos em diversos projetos de análise de redes sociais na Social Figures, foram encontrados 6 arquétipos de conversações no Twitter.

Segue abaixo a tradução da descrição básica de cada um destes arquétipos, que podem ser lidas melhor no relatório completo ou no resumo das descobertas.

polarized-crowdMultidão Polarizada (Polarized Crowd)

“Discussões polarizadas apresentam dois grandes e densos grupos com poucas conexões entre si. Os tópicos sendo discutidos são geralmente bem divididos e assuntos políticos calorosos. De fato, há pouca conversação entre os grupos além do fato de tratarem do mesmo tema. Multidões Polarizadas no Twitter não estão debatendo. Elas estão ignorando uma à outra enquanto apontam para diferentes fontes de conteúdo e usam hashtags diferentes”

tight-crowdMultidão Densa (Tight Crowd):

“Estas discussões são caracterizadas por pessoas altamente conectadas com poucos participantes isolados. Muitas conferências, tópicos profissionais, grupos de hobbies e outros temas que atraem comunidades manifestam-se neste formato de Multidão Densa.

Estas estruturas mostram especialmente como comunidades de aprendizado em rede funcionam e como compartilhamento e suporte mútuo pode ser facilitado pela mídia social”

brand-clustersClusters de Marca (Brand Clusters):

“Quando produtos, serviços ou temas populares como celebridades são discutidos no Twitter, geralmente há comentários de participantes desconectados. Estes participantes “isolados” em um cluster de conversação estão no lado esquerdo da imagem ao lado. Marcas muito conhecidas e outos temas populares podem atrair grandes e fragmentadas populações no Twitter, que tuitam sobre o tema mas não entre si. Quanto maior a população falando sobre a marca, menos provável será que os participantes estejam conectados uns aos outros.”

community-clustersClusters de Comunidades (Community Clusters):

“Alguns tópicos podem desenvolver vários grupos menores, que formam-se com frequência em torno de poucos hubs, cada um com sua própria audiência, influenciadores e fontes de informação. Estas conversações de Clusters de Comunidades parecem bazares com múltiplos centros de atividade. Notícias globais geralmente atraem coberta de muitas organizações de imprensa, cada uma com seus seguidores. Isto cria uma coleção de grupos de médio porte – e um número relevante de isolados (lado esquerdo da imagem ao lado).”

broadcast-networkxRede Broadcast (Broadcast Network):

“Comentários no Twitter em torno de notícias, conteúdo de marcas e âncoras conhecidos de imprensa possuem uma estrutura de hub e platéia na qual muitas pessoas repetem o que as organizações principais de mídia tuitam. Os membros da audiência da Rede Broadcast são geralmente conectados apenas com as fontes populares, sem conexões entre si. Em alguns casos, há sub-grupos menores de pessoas altamente conectadas – algo como “engajados” no assunto – que discutem as notícias entre si.”

support-networkRede de Suporte (Support Network):

“Reclamações de consumidores de grandes empresas são geralmente gerenciadas por contas no Twitter que tentam resolver as questões dos consumidores sobre seus produtos e serviços. Isto produz uma estrutura centralizada que é diferente do padrão da Rede Broadcast. Na estrutura da Rede de Suporto, a conta hub responde para muitos usuários desconectados, criando fluxos de informação em direção aos perfis. Em contraste, no padrão da Rede Broadcasts, o hub geralmente é respondido ou retuitado por muitos perfis, criando os fluxos de informação em direção ao hub apenas.”